Vamos Casar.... E aí???

Olá!

Como havia dito em meu primeiro post, a partir de agora dividirei minhas experiências com vocês e se tiverem alguma dúvida é so perguntar que tentarei responder o mais breve possível.

Nos últimos tempos a pergunta que mais ouvíamos era – “E ai esse casamento sai quando?”, já não agüentávamos mais abrir um sorriso sem graça e responder – “ Em breve...”. Mas no fundo nós não sabíamos quando iríamos nos casar, afinal de contas, para nós não era tão simples assim, pois queríamos um apartamento, festa, lua de mel e tudo isso estava além das nossas condições.
Depois de algum tempo, em janeiro do ano passado nós decidimos realmente casar e ficamos radiantes.
Mas e ai? A decisão estava tomada, mas qual deveria ser o próximo passo?

Foto by Momentos Stunder


Apesar de trabalhar com eventos e estar acostumada com preparativos, pressão e correrias, quando o assunto era organizar meu casamento eu ficava totalmente confusa.
Após falar com nossos pais, começamos a correr atrás das coisas e confesso que a correria foi intensa: escolher data, local, tipo de cerimônia, cardápio, festa, vestido, lembrancinhas, padrinhos, etc. Minha cabeça quase deu um nó, mas resolvi fazer um check list, ou seja, uma lista detalhada de todas as necessidades para o tal evento (futuramente farei um post sobre check list, aguardem!).
Juntos decidimos a data, os critérios utilizados foram: antes de dezembro e depois do inverno (não gostamos de frio). Sendo assim, escolhemos o mês de outubro que coincidentemente foi mês que começamos a namorar.
Com a data em mente começamos a pensar no local. Sempre sonhei em casar na praia, mas como moro em São Paulo as dificuldades para realizar esse sonho eram grandes, porque tínhamos que pensar no transporte e hospedagem dos convidados. A segunda opção era algo ao ar livre em um sítio.
Então fizemos diversas pesquisas e listamos muitos sítios com estruturas e propostas diferenciadas. Visitamos mais de doze locais, esse era o nosso programa aos finais de semana junto com meus pais. Cada lugar que entrávamos tinha um atrativo diferente, meus pais gostavam de tudo, mas nossos corações não se apaixonava por nenhum.
Nas minhas pesquisas encontrei um local chamado Mansão Ilha di Capri, a princípio não tive interesse em conhecer, mas por indicação resolvi ir até lá, afinal de contas eu queria esgotar todas as possibilidades.
Foi amor a primeira vista!!! Ao entrar no local meu coração pulsou mais forte e apesar da minha mente estar voltada para a idéia de sítio, comecei a perceber que ali nós poderíamos fazer um casamento com o nosso jeito. Olhei para o Tiago (meu marido) e os olhos deles estavam brilhando confirmando a decisão.
Fechado!!! Local definido só faltava verificar preços, condições e disponibilidade de datas.
Gente, quero ressaltar que o mais relevante na organização do casamento, não são as tradições, as regras e os gostos familiares, o importante é o casal fazer o que gosta, é os dois estarem apaixonados pela idéia, pelo sonho e fazerem do jeito que realmente desejam, seja uma cerimônia discreta, algo grandioso, apenas cartório ou trocar alianças nos fundos de uma pizzaria. O importante é ser feliz com o casamento.

No próximo post falarei sobre as próximas etapas que percorremos.
Beijos