quinta-feira, 24 de julho de 2014

0

Bem Casados: Solange e Paulo

Oi meninas,
hoje é dia de acompanhar mais um casamento aqui no blog. E é com muita alegria que compartilhamos com vocês o Big Day da Solange, uma leitora muito querida.

Foi uma cerimônia para receber a benção de Deus, e se louvar o amor... Eu e Paulo nos conhecemos por intermédio de um site de relacionamento cristão, começamos a planejar o casamento logo no início do namoro e este planejamento durou doze meses. A nossa prioridade era que fosse uma cerimônia bem simples, íntima, e também pretendíamos que tudo estivesse acolhedor e romântico. Somos evangélicos, moramos na Baixada Fluminense - atual Região Metropolitana do Rio - local que por muito tempo se constituiu de fazendas.  Pretendíamos relembrar um pouco desta origem e a decoração rústica foi relevante, pois nos fez resgatar o clima campestre do passado... Utilizei móveis de madeira de demolição, caixotes de feira, juta, trigo seco e fitas de cetim, fiz alguns dos elementos decorativos, inseri os meus gostos e o do noivo, pedi ajuda das tias, vizinhas e primas para fazerem doces, - item que foi a lembrança dos convidados - solicitei ajuda das sobrinhas e amigas para reunir elementos que pudéssemos usar. Queríamos que todos ficassem à vontade, como se estivéssemos festejando o casamento nos fundos de casa. . Eu e o noivo somos pessoas que priorizamos a luz do dia, e gostamos desse ar puro que envolve o alvorecer, assim decidimos nos casar em uma manhã de sábado. A palheta de cores do casamento foi o azul, rosa e branco, para criar um ambiente bem romântico... O dia foi maravilhoso, havia um sol tímido de inverno, mas o ambiente estava acolhedor e primoroso. Foi tudo perfeito, com certeza um dia que vai ficar para sempre na nossa memória! - Solange


quarta-feira, 23 de julho de 2014

3

Thainá e Café

Gente, hoje venho mostrar a história linda de Thainá e Cleverson (Café). Estou fascinada com as fotos do casamento e com a história!

* Se ler até o fim, tem vídeo! rs



Há cinco anos deixei a frenética São Paulo para morar na fria Curitiba. Para alguns já sou uma Curitibana nata! haha e não demorou muito conheci o amor, o Café. Eu era de uma igreja e ele de outra, nos conhecemos em um evento na igreja de amigos em comum, e a partir daí começamos a nos falar todos os dias. Ele estudava perto do meu trabalho, então sempre passava para me encontrar na saída antes de ir para a faculdade. Eu lembro que ele sempre me levava para comer bolo de cenoura com chocolate quente, porque a paulista aqui morria com o frio de Curitiba. 

Um tempo depois ele me pediu em namoro, e desde o começo eu tinha certeza que ele era o homem que Deus tinha separado para mim. Namoramos 3 anos e meio, fizemos nosso casamento em 1 mês, marcamos a data um ano antes para juntarmos dinheiro, passou um ano e não conseguimos, porém nós tínhamos uma promessa do Senhor e a certeza de que Deus estava com a gente. Tínhamos certeza de que Deus não falharia e em um mês, com 3 mil reais, e a certeza de estar fazendo a vontade de Deus, nós casamos, para que o sonho acontecesse todos os amigos se envolveram e nos ajudaram.

Fomos realmente abençoados por pessoas que acreditavam no nosso amor, e tudo aconteceu de uma maneira linda! Minha família que mora toda em São Paulo conseguiu vir, foi um dia de sol, cheio de amor e da presença do Senhor! Nesses 3 anos e meio de namoro, choramos muito, apreendemos um sobre o outro e eu não tenho palavras para dizer o quanto Jesus foi fiel. E falar sobre o Café, aaah ele é chato, tem olhos bons, arriscou a paz dele para viver a vida comigo, e confia todos os dias no nosso amor! Enfim, depois de 3 anos e meio eu me casei com o Negro mais lindo da cidade, e sou a mulher mais feliz desse mundo, nos temos tudo quando temos o Senhor, o amor do Senhor não falha, nunca falhou e nunca falhará.

Eu acredito que as noivas negras precisam de inspiração. Antes de casar eu não estava liberta com meu cabelo, com quem eu era mesmo e não conhecia o Blog Negras no Altar ou o Meninas Black Power, não existem referencias. Eu até falava “pow, parece que preto não casa”, hoje eu acredito no trabalho de vocês.
Fiquei em crise porque eu ia casar, queria colocar um mega hair ou qualquer coisa assim, mas o Café só me pediu para não alisar o cabelo de forma alguma. Ele disse “Vai de black, linda. De trança ou de dreads, mas eu quero te encontrar negra, lá”.


No final decidi pelas tranças, hoje já tirei, às vezes coloco novamente. Por causa do trabalho que vocês fazem, hoje eu amo meu cabelo.













Fotos: Fer Cesar / Raphael Villa Nova

Felicidades ao casal!! Como prometido, o vídeo:

segunda-feira, 21 de julho de 2014

1

Papo sério: Qual regime de bens escolher?

Falar de dinheiro nem sempre é uma coisa fácil para os casais. Na verdade não só para casais, mas na nossa cultura ter acordos financeiros passa também pelo lado emocional.
Ri muito quando minha professora de inglês que é estrangeira disse: “Para falar com vocês brasileiros sobre dinheiro é preciso ter cuidado,” eu ri na verdade porque é algo que nem percebemos, mas está em nós. Quando abordei uma vez esse assunto em um grupo para noivas algumas me taxaram como “bruxa.” Mas nem isso me fez mudar de opinião rsrsrs... Para algumas coisas eu sou bem realista, claro que ninguém casa pensando em separar, mas eu sempre penso Quer conhecer realmente uma pessoa? Se separe dela levou isso para todos os tipos de relacionamento que eu tenho.


  

“Chamamos de “regime de bens” o conjunto de regras que vão ser aplicadas aos bens do marido e da mulher, tanto os bens de antes do casamento quanto aqueles que forem sendo adquiridos na constância do casamento”.

Não é para ninguém sair correndo e  impondo o regime que irão casar rsrsrs e pior ainda falar que eu dei a ideia rsrsrs... Lembre-se que para o regime funcionar os dois precisam estar de acordo. Enfim eu propus e o Sortudo aceitou, vamos casar com Separação Total e Absoluta de Bens (O absoluta a minha professora de direito que me ensinou, assim não dá margens de erros de interpretações). Nossa que mulher MÁ? Eu não vejo por esse lado, as pessoas têm a mania de ver a pessoas ambiciosas com ruins,  eu não acredito que a ambição seja ruim, eu acredito que passar por cima das pessoas para chegar onde se almeja seja RUIM. Agora acordar cedo, trabalhar em dois empregos, estudar e etc, significa apenas correr atrás do seu sonho, lembrando que cada um tem um sonho.


Aí vem a pergunta: Mas ele não está ao seu lado? Não é uma parceria? Parceria de AMOR e não de negócios, eu não tenho nenhum problema em dividir, presentear ou pagar tudo se necessário, no entanto a minha ascensão profissional depende muito mais de mim do que do meu companheiro. Eu sei que o Sortudo é um fofo me aguenta há 4 anos e nesse período eu fiz 3 tccs (trabalho de conclusão de curso), mas eu fiz todos porque eu quis e hoje posso colher bons resultados.   
Antigamente não se fazia tantos pactos pré-nupciais, porque as pessoas se separavam menos, não porque eram felizes para SEMPRE, Mas quem tinha coragem de se separar na época das nossas avós?



Pelo nosso código civil, não é possível fazer pacto de fidelidade (aquele que a gente vê em filmes do EUA). No Brasil os regimes mais comuns são três:

Comunhão total de bens: Onde todos os bens que foram adquirido antes e durante o  casamento é do casal. Incluindo heranças e doações. Em caso de divórcio os bens serão divididos entre os dois. Os dois respondem por todas as dívidas contraídas, mesmo antes do casamento. É necessário fazer um pacto pré-nupcial antes de dar entrada no casamento  civil.

Comunhão Parcial de bens: Como o nome já diz, todos os bens que o casal tinha antes do casamento é de cada um. Tudo que for adquirido após a união é dos dois e dividido em caso de divórcio. Incluindo heranças e doações. É o regime mais comum em nosso país, quem não faz o pacto nupcial “automaticamente,” está inserido nessas condições.

Comunhão Separação total de bens: Cada um com o seu...rs... Tudo que foi adquirido antes e durante o casamento é de cada um. Exceto bens registrados no nome dos dois, pois serão divididos. É necessário fazer o pacto nupcial antes de dar entrada no casamento civil, em São Paulo custa em torno de R$ 310,00 para esse tipo de pacto e é realizado por um tabelião de notas.

Ainda encontrei essa opção:

Participação Final nos Aquestos: A divisão dos bens, diferente da comunhão parcial, não é feita meio a meio. O cônjuge que participou com mais recursos para comprar uma casa, por exemplo, pode reivindicar para ficar com a maior parte. O cálculo é feito caso a caso, de acordo com o investimento que cada um dos cônjuges fez em cada aquisição durante o casamento (com exceção de heranças ou doações). Neste regime, o casal tem liberdade para administrar seus bens individuais sem a participação do outro. Mas atenção: é preciso fazer um complexo cálculo aritmético a fim de apurar a fração que cabe a cada um, de acordo com os critérios legais. A dificuldade e a morosidade dessa forma de partilha, aliada aos elevados custos envolvidos para exata avaliação de cada bem, acabam por tornar esse regime pouco utilizado. (Fonte: http://delas.ig.com.br/noivas/conheca-os-tipos-de-regimes-de-bens/n1596931324674.html)


           Eu sei que não é o assunto mais legal de se discutir, mas é necessário. Eu acredito que evita mágoas desnecessárias no futuro, afinal tudo foi escolhido em acordo.


PS: Compramos nossa casa juntos!



domingo, 20 de julho de 2014

6

Bem Casados: Lunna e Eber

Oi meninas,
depois de mostrar como foi o making of da Lunna, vim compartilhar com vocês as fotos do casamento dela.
Vem comigo...

O nome do meu Marido é Eber, e graças a ele, somente ele, digo somente ele reforçado rs, o nosso sonho se realizou. O sacrifício do trabalho dele fez com o que o nosso sonho se realizasse. Ele pagou nosso casamento sozinho, digo cada centavo, homem forte, na época do casamento ficou desempregado, mas não desanimou, fazia bico daqui, eu chorava descontos com os fornecedores dali... Falando nos meus fornecedores, fofos de doer.. Minha cerimonialista Danila Garcia, meu fotografo, que acabou se tornando meu amigo, Lee Fotografia, e a responsável pela casa de festa que deixou eu pagar do jeito que deu rs, Casa de festa DSP Rio Eventos. Graças a Deus no final, tudo deu certo, e eu sai descabelada, o marido cansado, tudo isso graças aos meu fornecedores amigos... - Lunna













Fornecedores - Fotos: Lee Fotografia; Cerimonialista: Danila Garcia; Casa de Festas: Dsp Rio Eventos;

Lunna e Eder, nós do blog Negras no Altar desejamos uma vida de muito amor, companheirismo e felicidade para vocês.